R. Dr. João Batista Lobato, 64 - Centro, Itapetininga - SP
(15) 3527-8199

Em um dia, cidade registra mais de 430 casos positivos de Covid-19

Nessa terça-feira (11), a cidade de Itapetininga chegou a marca de 17.115 casos positivos de Covid-19, 431 a mais do que os registrados na segunda-feira (10), quando o município tinha 16.684 pessoas diagnosticadas com o vírus. Até o momento, durante toda a pandemia, a cidade já registrou 555 óbitos pela doença.  Desde o dia 23 de novembro, a cidade não registra mortes pela Covid-19. As vacinas contra a doença evitam a hospitalização e óbitos em mais de 90% dos casos, mas não evitam a transmissão e o contágio do vírus.

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Itapetininga, na tarde dessa terça-feira (10), 451 pessoas estão em isolamento; 31 hospitalizados e 16.109 curados. São 616 casos suspeitos, que aguardam os resultados de exames; 47.541 casos foram descartados.

O Hospital Leo Orsi Bernardes (HLOB), que atende 13 municípios da região, registra 23 internados. A Unimed tem 08 pessoas internadas.

 

Codetecção

A Secretaria de Estado da Saúde informou à TVitapê que foram registrados 110 casos de codetecção de vírus Influenza e Covid-19 em todo o Estado de São Paulo, em todo o ano de 2021. Os dados foram extraídos do sistema Sivep-Gripe e referem-se a casos hospitalizados que tiveram critério de encerramento laboratorial e positividade para Influenza e SARS-CoV-2 por meio de teste rápido de antígeno/imunofluorescência e/ou RT-PCR. Conforme definição do Ministério da Saúde, somente os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) são de notificação compulsória, ou seja, apenas casos com necessidade de hospitalização.

 

O hospital de campanha, instalado na área interna do Hospital Léo Orsi Bernardes (HLOB) e a UTI respiratória do HLOB estão 100% ocupadas, de acordo com um boletim divulgado pela Prefeitura de Itapetininga. Atualmente, há 16.680 casos confirmados de covid-19 na cidade; 16 estão em isolamento e 29 hospitalizados. Em toda a pandemia, a cidade registrou 555 óbitos pela doença.

 

Sobre as gripes, em nota, anteriormente a prefeitura já havia falado que a cidade não registrava nenhum caso confirmado de H1N1 ou H3N2, e nem da variante Ômicron. “Itapetininga não registrou nenhum caso de H1N1 ou H3N2 em 2021 e nenhum caso foi registrado, até o momento, em 2022. Também não foi registrado, até o momento, nenhum caso da variante Ômicron. Em Itapetininga existe um fluxo diferenciado e exclusivo no Hospital Dr. Léo Orsi Bernardes (HLOB) para pessoas que apresentem sintomas respiratórios, justamente para separar do fluxo normal dos atendimentos realizados em unidades de saúde, para não haver mistura de pacientes, uma vez que os sintomas gripais são semelhantes aos da Covid 19. No HLOB, ao chegar com sintomas respiratórios, o paciente passa por testagem para Covid, de acordo com o período dos sintomas, preconizado pelos órgãos estaduais e federais em saúde. Além disso, o paciente recebe todas as orientações com relação ao isolamento necessário, caso aguarde resultado de seu exame, como suspeito”.

 

 

 

Variantes

No ano passado, a cidade chegou a confirmar 33 casos positivados das variantes Delta e Gamma. Todos os pacientes já estão curados.

 

O balanço do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo aponta 86 casos da variante Ômicron, todos com resultado de sequenciamento genético e investigação epidemiológica. Do total, são 69 na Capital, que já confirmou transmissão comunitária; 3 em Araraquara, 3 em Franca, 2 em Pradópolis, no interior de SP; e cada uma das cidades a seguir tem 1 caso confirmado: Santos, Porto Feliz, Guarulhos, Limeira, São José dos Campos, Osasco, Ribeirão Preto, Mirassol e Piracicaba.

 

A Ômicron, assim como a Alpha, Beta, Gamma e Delta, são classificadas como "variantes de atenção" pelas autoridades sanitárias devido à possibilidade de aumento de transmissibilidade ou gravidade da infecção, por exemplo. Até 30 de dezembro, análises do Instituto Adolfo Lutz e do CVE identificaram 3 casos autóctones de Beta, 54 de Alpha, 2.917 de Gamma e 15.276 de Delta.

 

A confirmação de uma variante ocorre por meio de sequenciamento genético, um instrumento de vigilância, ou seja, de monitoramento do cenário epidemiológico, que não deve ser confundido com diagnóstico, este sim de caráter individual. Portanto, não é necessário, do ponto de vista técnico e científico, sequenciamentos individualizados, uma vez confirmada a circulação local da variante.

 

 

 

Medidas Preventivas

Casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave ou de surtos isolados, de acordo com protocolo preconizado pelo Governo do Estado de SP, têm amostras coletadas e enviadas ao Instituto Adolfo Lutz para análise.

 

 

 

É importante lembrar a todos que os protocolos sanitários como uso de máscaras, distanciamento e higienização das mãos, além de serem eficazes na prevenção à Covid-19, também previnem a transmissão de outras doenças virais, como a influenza.

 

As medidas já conhecidas pela população seguem cruciais para combater a pandemia do coronavírus: uso de máscara, que segue obrigatório em SP; higienização das mãos (com água e sabão ou álcool em gel); distanciamento social; e a vacinação contra a COVID-19 e Influenza.

 

Foto: Reprodução/Internet